Filtro de procura

As receitas da área de construção do Grupo FCC atingiram 1.611 milhões de euros em 2020

26/02/2021

As receitas da área de construção do Grupo FCC atingiram 1.611 milhões de euros em 2020

As receitas da área de construção do Grupo FCC, durante o exercício de 2020, ascenderam a 1.611 milhões de euros. Estes sofreram uma contração de 6,5% em relação a 2019, devido ao ritmo mais lento ou mesmo paralisação temporária de muitos projetos internacionais, principalmente na América Latina e Oriente Médio, devido ao surgimento do COVID-19. Esta situação não foi totalmente compensada pelo maior volume de atividade associada a contratos obtidos e posições em desenvolvimento na Europa, que no seu conjunto experimentou um menor nível de ruptura ao longo do ano.

Em Espanha, o volume de negócios aumentou 27,6%, para 848,8 milhões de euros, devido ao bom ritmo mantido no desenvolvimento dos projetos, sendo o mais relevante a remodelação do estádio de futebol Santiago Bernabéu, bem como noutros contratos recentemente adjudicados. Do mesmo modo, na Europa e noutros mercados, o volume de negócios cresceu 24,5% face ao ano anterior e atingiu os 390 milhões de euros, fruto da maior atividade desenvolvida em novos projectos iniciados em países da UE, onde se destaca a autoestrada A‐9 na Holanda, o A-6 na Noruega, a modernização da pista do aeroporto de Bacau na Romênia e o ritmo de desenvolvimento da prisão de Haren na Bélgica. No Oriente Médio, as receitas caíram para 246,2 milhões de euros, principalmente devido à menor atividade registrada na construção do metrô de Riade, na Arábia Saudita, devido às severas medidas de confinamento decretadas em função da pandemia. Na América Latina e nos EUA, o volume de negócios foi reduzido principalmente devido à menor contribuição devido à conclusão da Linha 2 do metrô do Panamá e também da Ponte Gerald Desmond em Los Angeles (EUA), juntamente com a desaceleração em o desenvolvimento de outros projectos em curso em vários países, devido às exigentes medidas de contenção aí decretadas.

A margem bruta de exploração (EBITDA) diminuiu face a 2019, atingindo 53,6 milhões de euros. Esta evolução é consequência dos excessos de custos causados pela paralisação temporária da atividade e das rupturas na cadeia de abastecimento sofridas por restrições de mobilidade, todas decorrentes da situação de emergência gerada pelas medidas de emergência sanitária.

No entanto, o maior nível de atividade desenvolvida na Europa tem permitido atenuar este impacto e que a margem operacional se fixe em 3,3%. O lucro operacional líquido atinge 20,9 milhões de euros.

A carteira de receitas da área diminuiu ligeiramente e ultrapassou os 5.100 milhões de euros. Por tipo de atividade, as obras civis em carteira representam 80% do total e aumentaram 3,3%, devido às novas contratações na área internacional, principalmente na Europa, que têm compensado a baixa licitação em Espanha.
 

Idiomas disponíveis: