Filtro de procura

null A área de construção do Grupo FCC aumentou o seu EBITDA em mais 54,1% em relação ao exercício de 2018

03/03/2020

A área de construção do Grupo FCC aumentou o seu EBITDA em mais 54,1% em relação ao exercício de 2018

A área de construção do Grupo FCC, onde a Ramalho Rosa Cobetar se inclui, aumentou, em 2019, o seu EBITDA em mais 54,1% em relação ao exercício de 2018, alcançando assim os 100,2 milhões de euros.

A produção aumentou 3,9%, em 2019, alcançando 1.719,3 milhões de euros, tanto pela contribuição de novos projetos como pelos já existentes, seja a nível nacional como internacional. Em Espanha o volume de negócio aumentou 9,2%, para 665,3 milhões de euros, resultado de novos contratos, tais como a remodelação do estádio de futebol do Real Madrid ou o complexo de tratamento de Loeches. Ao nível internacional, o volume de negócio aumentou, uns destacados, 53,8% para 351,7 milhões de euros, consequência do excelente ritmo de execução de diversas linhas ferroviárias na Roménia e do arranque de projetos em outros países da EU, tais como o complexo de Haren na Bélgica ou as novas instalações educativas em Dublin (Irlanda).

A carteira na área de construção aumentou 24,5% em 2019, face ao exercício anterior, atingindo 5.623,2 milhões de euros. No último trimestre, destacam-se a adjudicação do contrato de obra e subsequente manutenção por dois anos, de uma seção do anel viário A-9 em Amsterdão (Holanda), bem como a assinatura do contrato de concessão e construção da estrada E6 Ulsberg -Vindasliene, na Noruega. Em Espanha, é necessário destacar a adjudicação do contrato de construção para o “fecho do anel da ilha de Tenerife”.
O resultado bruto situa-se em 77,3 milhões, evidenciando, em conjunto com os restantes indicadores, um comportamento positivo e de crescimento de 55,8%, face a 2018. 

Em conclusão, a FCC Construcción continua a demonstrar a sua experiência e capacidade na execução de contratos de diversa índole. Por tipo de atividade, as infraestruturas viárias representam 71% do volume total de obras e são também onde se gerou o maior volume de contratação, principalmente na área internacional.