Filtro de procura
Etiquetas
Etiquetas
Voltar

FCC reporta um lucro líquido de 176 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano

07/11/2018

FCC reporta um lucro líquido de 176 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano

  • O EBITDA do Grupo registrou um crescimento de 8,1%, atingindo 645,7 milhões de euros
  • A dívida financeira líquida diminuiu 21,9% em relação a dezembro de 2017
FCC reporta um lucro líquido de 176 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano
O Grupo FCC registrou um lucro líquido de 176 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, representando um aumento de 14,7% em relação aos 153,5 milhões de euros obtidos no mesmo período de 2017, devido ao bom resultado das atividades de exploração em todas as áreas de negócio.
 
O volume de negócios líquido, nos primeiros nove meses do ano, foi de 4.350,8 milhões de euros, o que equivale a 2,2% mais que em 2017, devido ao maior nível de atividade nas áreas de Ambiente, da Água e das Cimenteiras.
 
No mesmo período, o EBITDA do Grupo registrou um crescimento de 8,1%, atingindo 645,7 milhões de euros, o que representa um aumento de 14,8%, um dos maiores atingidos pelo Grupo.
 
O comportamento do EBITDA nas diferentes áreas de negócio foi o seguinte: 
  • No Ambiente, aumentou para 324,4 milhões de euros, representando um aumento de 6% em relação ao terceiro trimestre acumulado de 2017. 
  • Na área da gestão de água registou um aumento de 2,5% para os 186,1 milhões de euros. 
  • Na construção atingiu 43,3 milhões de euros, 14,3% menos que no mesmo período do ano anterior. 
  • Por seu turno, a área do cimento atingiu 57,4 milhões de euros, 27% mais que em 2017.
O resultado líquido (EBIT) registrou 366,8 milhões de euros, 15,2% mais que no mesmo período do ano anterior.
 
O resultado, antes de impostos, situou-se em 249,7 milhões de euros, com um aumento de 34,1% em comparação com 186,2 milhões de euros no mesmo período de 2017.
 
A 30 de setembro, a dívida financeira líquida consolidada diminuiu 21,9%, atingindo 2.795,9 milhões de euros.
 
O património líquido do Grupo é consideravelmente reforçado ao duplicar em relação a dezembro do ano anterior e atingir 1.876,5 milhões de euros a 30 de setembro de 2018.
 
Marcos nos primeiros nove meses
 
FCC vende uma percentagem minoritária da FCC AQUALIA por 1.024 milhões de euros
 
No passado 28 de setembro, logrou-se a venda de uma participação minoritária de 49% da FCC AQUALIA, ao fundo IFM por 1.024 milhões de euros. O principal destino dos recursos recebidos foi na redução da dívida existente do Grupo em mais de 800 milhões de euros que, em conjunto com a entrada em vigor de um novo financiamento permitiu o cancelamento do empréstimo da FCC, SA. O restante do produto da venda está destinado a diversos fins corporativos.
 
A FCC AQUALIA manterá a sua estratégia atual, a sua estrutura operacional e a sua equipa de gestão. A incorporação do novo sócio ao seu capital fortalece a sua capacidade de crescimento.
 
FCC Ambiente obtém o contrato para a segunda fase do complexo ambiental de Guipúzcoa
 
A FCC Ambiente lidera um grupo de empresas que assinaram o contrato para o desenvolvimento da segunda fase do Complexo Ambiental de Guipúzcoa. Esta adjudicação envolve a construção, arranque e exploração por um período de 20 anos de uma instalação que envolve um investimento de mais de 32 milhões de euros, com uma carteira de receita futura estimada em 92 milhões de euros. A nova instalação terá dois tipos de fábricas; um para biometanização e outro para a reciclagem de escória da fábrica de recuperação de energia da primeira fase do complexo. A instalação deve começar a operar no verão de 2019.
 
FCC Construcción ganha projeto de ampliação do aeroporto de Lima (Peru)
 
O consórcio, onde se inclui a FCC Construcción, foi selecionado para a conceção e a construção da expansão do novo aeroporto internacional de Lima (Peru). O cliente, Lima Airport Partners, adjudicou o contrato após um exaustivo processo de pré-qualificação, que reuniu renomeadas empresas internacionais especialistas em construção de aeroportos em todo o mundo. A infraestrutura a ser desenvolvida contempla um aumento superior a 3 vezes a atual superfície das instalações aeroportuárias. Esta adjudicação, ainda não incorporadas no contrato, acresce às previamente obtidas pelo consórcio formado pela FCC Construcción e CICSA, para a expansão das várias seções da estrada Inter-Americana no Panamá, orçamentadas em 892 milhões de euros. Essas obras serão executadas pela FCC Americas, uma empresa detida em 50%, pela FCC Construcción e pela CICSA, respetivamente, e envolvem trabalhos ao longo de mais de 50 quilómetros e um prazo de mais de 20 meses.
 
Assim, o volume de contratação nos primeiros nove meses do ano ascendeu a cerca de 1.600 milhões de euros, permitindo que o saldo da carteira crescesse 6,4%.
 
AQUALIA ganha cerca de 250 milhões de euros em contratos internacionais de desenvolvimento e operação de centrais hidráulicas
 
O Ministério da Saúde do Panamá elegeu a proposta da AQUALIA para o projeto, construção, operação e manutenção da estação de tratamento de águas residuais em Arraiján Este. O projeto, avaliado em cerca de 75 milhões de euros, é o primeiro desta área do Grupo no país da América Central. Também no primeiro trimestre, a sociedade mista SAOC, que integra as empresas AQUALIA e a empresa pública Majis Industrial Services, do Fundo de Investimento Omã obteve o contrato para desenvolver e explorar durante os próximos 20 anos, a operação e manutenção de todos os serviços (captação, dessalinização, distribuição e purificação) relacionados com a água na área portuária de Sohar, a mais importante do norte de Omã. O volume total esperado de receitas é de, aproximadamente, 120 milhões de euros. Adicionalmente, no México será construída a estação de dessalinização Guaymas (Sonora), que inclui a conceção, equipamento, construção e arranque, bem como a exploração e a manutenção por um período total de 20 anos. O projeto pressupõe uma carteira total de cerca de 75 milhões de euros.

 

  PRINCIPAIS MAGNITUDES
  (Milhões de euros) Sept. 18 Sept. 17 Var. (%)
  Volume de negócios liquido 4.350,8 4.256,2 2,2%
  EBITDA 645,7 597,1 8,1%
         Margem Ebitda 14,8% 14,0% 0,8 p.p.
  EBIT 366,8 318,3 15,2%
         Margem Ebit 8,4% 7,5% 1,0 p.p.
  Resultado atribuído à sociedade dominante 176,0 153,5 14,7%
  (Milhões de euros) Sept. 18 Sept. 17 Var. (%)
  Património liquido 1.876,5 938,5 99,9%
  Divida financeira líquida 2.795,9 3.579,5 -21,9%
  Carteira 29.513,2 29.377,4 0,5%

 

% Ingresos por Áreas Geográficas

 

%EBITDA por Áreas Geográficas